Contorno Corporal – Gluteoplastia

Consiste no aumento da região glútea e está indicada para pacientes que possuem nádegas baixas e pequenas, melhorando assim a flacidez local e o contorno corporal. Pode ser realizado através uso de prótese glútea (implante de silicone) ou com enxertia de gordura. 

 

Prótese glútea

É indicada em pacientes com nádegas pequenas e que desejam um aumento do volume local.

A técnica utilizada consiste na introdução de um implante de silicone dentro do músculo glúteo. A cicatriz fica escondida no sulco interglúteo (prega entre as nádegas) e é de difícil percepção.

 

Lipoenxertia

Consiste na injeção de gordura lipoaspirada previamente do próprio paciente de forma a moldar a região glútea, aumentando assim o volume desta região. A gordura implantada tem uma capacidade de permanência no local em torno de 50-80 %, sendo que esta taxa pode variar de paciente para paciente, dependendo também dos cuidados pós- operatórios.

 

A cirurgia deixa uma cicatriz muito visível? 

Na cirurgia com colocação de prótese, a cicatriz fica posicionada no sulco interglúteo (entre as nádegas) e no caso de lipoenxertia são realizados cortes pequenos de 0,5 cm para inserção da cânula e enxerto de gordura lipoaspirada do próprio paciente.

 

Qual é o tempo de recuperação?

O tempo de recuperação é de 10-15 dias, sendo que pode variar de pessoa para pessoa. Neste período, orientamos não apoiar a região operada.

 

O pós – operatório é muito doloroso?

A cirurgia geralmente não apresenta dor intensa e na sua                           ocorrência ela poderá ser controlada por analgésicos comuns.

 

Em quanto tempo poderei retornar às atividades físicas?

Caminhadas e exercícios leves são liberados após 21 dias. Exercícios de membros inferiores e glúteos são recomendados somente após 90 dias.

 

Que tipo de complicações podem ocorrer?

Todo ato médico inclui um risco variável e a cirurgia plástica como parte da medicina não é exceção. Em pacientes em que não existam fatores agravantes e na vigência dos cuidados médicos cirúrgicos usuais, as complicações sérias são incomuns.  As complicações mais freqüentes neste tipo de cirurgia são:  hematomas, seromas (acúmulo de líquidos), infecção, assimetrias, alterações na sensibilidade das áreas operadas deiscência de sutura (abertura de pontos) com exposição da prótese, cicatrizes inestéticas (alargadas).