O verão chegou

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

E para poder melhor  aproveitar esta época do ano , os cuidados com a pele devem ser redobrados.

Durante o verão, aumentam as atividades realizadas ao ar livre. A radiação solar incide com mais intensidade sobre a Terra, aumentando o risco de queimaduras, câncer da pele e outros problemas. Por isso, não podemos deixar a foto proteção de lado. 

O verão é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer.  Os produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) 15 ou 20 podem ser usados no dia a dia; e o FPS 30 ou superior  é ideal para uma exposição mais longa ao sol (praia, piscina, pesca etc.).

O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD) e contra os raios UVB (indicado pelo FPS). Aplique o produto 30 minutos antes da exposição solar, para que a pele o absorva. Reaplique-o a cada duas horas, mas fique atento, esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água.

Pegar muito sol entre as 10h e 16h é prejudicial a sua pele e saúde, esse é o horário com maior incidência solar e deve-se evitar. Prefira locais mais arejados e cobertos, longe da exposição direta do sol.. A pele é o maior órgão do corpo humano, por isso dê atenção a ela.

Atenção especial para o uso de protetor solar em  crianças e jovens, pois 75% da radiação acumulada durante toda a vida ocorre na faixa entre 0 e 20 anos. A falta de proteção adequada hoje pode trazer conseqüências no futuro.

CÂNCER  DE PELE

O câncer da pele é o tipo de tumor mais incidente na população – cerca de 25% dos cânceres do corpo humano são de pele. O câncer de pele é definido pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Qualquer célula que compõe a pele pode originar um câncer, logo existem diversos tipos de câncer de pele. Entre as lesões malignas, os tumores mais comuns são: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma epidermóide ou espinocelular (CEC) e melanoma.

O cirurgião plástico está apto a remover  tumores de pele bem como reconstruir defeitos oriundos de sua remoção, respeitando as características da patologia em questão e objetivando o melhor resultado estético-funcional possível.

Nem toda lesão de pele exige retirada cirúrgica. Somente após avaliação com o médico devidamente qualificado poderão ser discutidas a condutas a serem tomadas diante de um tumor de pele, que varia desde um simples acompanhamento periódico passando por tratamentos não cirúrgicos até a cirurgia propriamente dita.