O Brasil está em 2º lugar no ranking mundial de cirurgias plásticas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Brasil é vice-campeão entre os países que mais fazem cirurgias plásticas no mundo, ficando atrás somente dos Estados Unidos.  Segundo os dados mais recentes da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS, no ano de 2017 foram realizados cerca de 2,5  milhões de procedimentos estéticos em nosso país. Isto representa10.4 % das cirurgias estéticas mundiais. 

É crescente o número de pessoas que sente a necessidade de mudar algo em seus corpos e para isso procuram por uma cirurgia plástica. Assim como na moda, ano após ano, algumas cirurgias plásticas e intervenções estéticas se transformam em tendências, ou seja, ganham maior repercussão entre as pessoas e passam a ser mais  requisitadas. 

O Censo de 2018 da SBCP aponta que  70% das cirurgias plásticas são femininas. O implante de silicone nos seios, lipoaspiração, abdominoplastia, mastopexia (cirurgia para levantar os peitos) e mamoplastia redutora lideram a lista.

Entre os homens também foi observado um  aumento da procura por intervenções cirúrgicas estéticas. As mais realizada foram a rinoplastia  ( cirurgia do nariz), otoplastia (correção das orelhas de abano), redução das mamas (ginecomastia), implante capilar, lipoaspiração e cirurgia de pálpebra (blefaroplastia). 

Os benefícios da cirurgia plástica vao muito além da questão estética , ao devolver a autoestima ao paciente. Eles também auxiliam na recuperacão de doenças e aspectos funcionais do corpo; que podem ser corrigidos ou aprimorados através de procedimentos cirúrgicos.

Seja qual for a sua motivação , se você apresenta algum grau de desconforto com a sua auto-imagem , não hesite em procurar um cirurgião plástico  ,porém certifique-se que o médico escolhido para corrigir a sua insatisfação seja filiado a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Isso garante que o profissional recebeu a melhor capacitação possível para realizar o procedimento  com segurança, evitando assim possíveis transtornos.

O cirurgião plástico passa por seis anos de faculdade de medicina, mais dois em cirurgia geral e outros três para residência em cirurgia plástica. O processo é importante para a capacitação em execução de procedimentos, identificação de possíveis intercorrências, para evitá-las, ou para lidar com elas quando não detectadas antes do procedimento.